Plano de Marketing: Descubra como fazer o seu

Plano de Marketing: Descubra como fazer o seu

Saiba tudo sobre como desenvolver o seu plano de marketing

Uma vez que consideramos o plano de marketing um dos pontos mais fortes da Ontag, o nosso primeiro artigo só poderia ser sobre ele.

Mas, afinal … o que é um plano de marketing?

Para que serve?

Será mesmo necessário ter um para ter um negócio bem-sucedido?

Sim, é fundamental. Para um negócio bem-sucedido, não nos basta ter uma boa ideia. É necessário saber como a colocar no mercado, de forma a que esta seja o mais rentável possível. Mas afinal …

o que é um plano de marketing?

Um plano de marketing, como o próprio nome indica, é um documento onde estão detalhadas as ações de marketing necessárias para atingir determinado objetivo. Este planeamento pode ser focado na divulgação do seu negócio, de um produto ou serviço. É, portanto, importante para a sua empresa.

O plano de marketing é uma montra das ações do seu negócio. Uma pequena amostra do que ainda está para vir.

 

Embora não exista a receita perfeita para a elaboração de um plano de marketing, nós vamos-lhe dar as etapas pelas quais deve passar:

O planeamento

A falta de planeamento é uma característica comum de todas as empresas que não cumprem os seus objetivos.

Por essa razão, esta parte é crucial para o seu plano de marketing. E a mais trabalhosa também.

No entanto, antes de se sentar e começar a planear, precisa de se perguntar:

“Conheço bem o meu mercado?”

Conhecer bem a sua área, os seus concorrentes e os seus clientes deve ser uma prioridade para si, que está à frente do negócio. Uma vez que todas as suas ações serão influenciadas por estes três fatores em prol dos objetivos que definiu.

Conheça a sua empresa, os seus pontos fortes, mas acima de tudo, tenha consciência dos seus pontos fracos.

Conhecer os nossos pontos fortes é importante, mas estarmos cientes dos nossos pontos fracos pode ser a nossa maneira de nos distinguirmos da concorrência. 

De nada lhe adianta ter objetivos se não souber como os pôr em prática.

Por isso, seja objetivo e claro.

A Implementação:

Se tiver entendido a fase do planeamento, esta etapa será simples.

Ponha em prática a estratégia que minuciosamente definiu anteriormente.

Mas … não espere lançar as cartas ao ar e esperar que elas caiam todas em harmonia.

Se alguma coisa não estiver a correr como planeou, altere o seu plano.

Não tenha medo da mudança. Às vezes, é necessário ajustarmos as nossas ações para obtermos os resultados que pretendemos.

A avaliação:

Esta etapa começa em simultâneo com a etapa da implementação.

É preferível prevenir do que esperar que corra mal para depois remediar, quando os prejuízos serão maiores.

Modelo de plano de marketing:

Como referimos anteriormente, não existe um modelo perfeito para a execução de um plano de marketing, no entanto existem fases pelas quais terá obrigatoriamente que passar:

Pesquisa de mercado:

De uma forma qualitativa e quantitativa, perceba quem são os seus concorrentes, os seus possíveis parceiros e quem tem ou poderá vir a ter interesse naquilo que o seu negócio tem para oferecer.

Cliente ideal:

Uma vez que o plano de marketing foi desenhado para atingir o público-alvo, ou seja, as pessoas que vão consumir o produto ou serviço prestado pela sua empresa é necessário que seja feita constantemente uma análise detalhada do seu mercado. Desta forma, iremos procurar criar ou detetar necessidades em potenciais clientes, satisfazê-las e por último fidelizá-los.

Com essa análise, é possível identificar quantitativamente todos aqueles que poderão ter interesse direto ou indireto naquilo que tem para oferecer.

Esse é o topo do funil de vendas.

Desengane-se se pensa que os visitantes serão todos clientes.

Plano de Marketing: Fúnil de vendas

De seguida, começa o aspeto qualitativo da sua estratégia, onde irá reconhecer potenciais clientes, gerando leads que, dependendo da forma como comunica e como se empenha a satisfazer as suas necessidades, se tornarão clientes fidelizados.

Analise a concorrência

É relevante para nós empreendedores, perceber de que forma estão a agir os nossos concorrentes. Perceber as falhas deles, aprender com eles. Melhor do que sabermos o que está bem feito, é percebermos o que não deu certo para não repetirmos o mesmo erro.

Chama-se a este processo Benchmarking, que consiste em:

Realizar um processo continuo e sistemático que permite a comparação das performances das empresas, bem como respetivas funções e processos. Isto, face ao que é considerado um melhor nível, visando, não apenas a equiparação dos níveis de performance, mas também a sua superação. – Comissão Europeia

Defina a sua estratégia e ações

Crie um objetivo geral.

Seja realista. Não ambicione coisas que estão para lá das suas capacidades atuais. Isso é desmotivador, não só para si, mas também para os seus colaboradores.

De seguida, defina as suas metas. Aquelas que o vão ajudar a atingir os seus objetivos.

Avalie

Quase que parece que nos enganámos, não? Outra vez uma avaliação?

Não, não nos enganámos.

A verificação de resultados é efetivamente importante para evitar que estejamos a investir o nosso tempo e recursos financeiros em algo que não está a dar os resultados pretendidos.

Correndo o risco de parecer repetitiva, se em alguma circunstância alguma ação que definiu não estiver a dar os resultados que pretende, não tenha medo de mudar e de seguida, reavalie a situação.

A prática leva à perfeição não é verdade?




Ainda com dúvidas? Nada tema. É para isso que cá estamos.

Deixe uma resposta